Graduação - Engenharia de Aquicultura

Os cursos de graduação em Engenharia de Aquicultura têm por objetivo formar profissionais para atuar no cultivo de peixes, crustáceos, moluscos e plantas aquáticas. O perfil desejado do formado é o de um profissional que vai se valer das ferramentas conceituais metodológicas e técnicas para contribuir para uma produção eficiente de alimentos e derivados de origem aquática, com espírito empreendedor, possuidor de valores éticos, consciente de sua função na sociedade e de sua responsabilidade para com o meio ambiente, na busca do desenvolvimento sustentável.

Como não dispõem de Diretrizes Curriculares específicas, os cursos da modalidade enquadrando-se no disposto na Resolução N° 11, de 11.03.2002, da Câmara de Ensino Superior do Conselho Nacional de Educação - CNE/CES, que instituiu as Diretrizes Curriculares para os cursos de graduação em Engenharia. Neste contexto, tais cursos não apresentam estruturas curriculares padronizadas, especialmente na parte final, uma vez que o enfoque da formação profissional pode tender para a produção em ambientes aquáticos continentais (rios, lagos e barragens) ou mesmo para a produção em ambientes oceânicos ou de transição (estuários).

Em face destas particularidades, o enquadramento dos cursos de Engenharia de Aquicultura na área de Ciências do Mar é feito caso a caso, considerando-se como pertencente a este domínio aqueles que têm o viés profissional na produção em ambientes oceânicos e de transição (estuários), ao passo que os demais não são considerados como tal. A expectativa é de que a definição de Diretrizes Curriculares específicas permita dar um tratamento uniforme a modalidade, da mesma forma que ocorreu com os cursos de Engenharia de Pesca.

Até 2010, o único curso de Engenharia de Aquicultura era o da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, mas, em 2011, tiveram início os cursos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN e da Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS. Este último, entretanto, em razão da sua estrutura curricular voltada integralmente para a produção em ambientes aquáticos continentais, não se enquadra na definição de Ciências do Mar adotada como referência, de forma que não foi considerado como pertencente a este domínio do conhecimento.

Em 2012, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - IFES criou um novo curso da modalidade, com sede na cidade de Alegre, que contempla uma formação profissional mais abrangente, incluindo a produção em todos os ambientes aquáticos, razão pela qual é considerado como pertencente às Ciências do Mar.

O surgimento de bacharelados interdisciplinares introduziu um novo viés na formação profissional no país, que passa a contemplar egressos com um perfil generalista, obtido a partir da integralização de um curso de duração reduzida, que não ultrapassa o lapso de três anos e meio. Nesta nova concepção de bacharelado, terminada a formação interdisciplinar, o egresso pode optar por ingressar em outro bacharelado, agora com duração de até dois anos, que irá aprofundar os conhecimentos em um dos temas contemplados na formação interdisciplinar.

Neste contexto, a Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP e a Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA criaram, respectivamente, os bacharelados interdisciplinares em Ciências do Mar e em Ciência e Tecnologia das Águas, o primeiro com dois anos de formação e o segundo com três anos e meio. Entre as opções oferecidas pela UNIFESP para a continuidade da formação estão as modalidades de Ecologia Marinha, Engenharia de Pesca e Aquicultura e Oceanografia, todas pertencentes a área de Ciências do Mar. Já a UFOPA prevê a oferta de Engenharia de Pesca e Engenharia de Aquicultura, ambas incluídas nas Ciências do Mar. Não há, no âmbito do PPG-Mar, uma posição formada quanto ao enquadramento na área de Ciências do Mar dos bacharelados interdisciplinares já em atividade. Entretanto, é consenso que os bacharelados complementares já anunciados, quando couber, serão enquadrados neste domínio do conhecimento. 

Como a maior parte dos cursos em atividade são recentes, os 424 Engenheiros de Aquicultura graduados até 2012 são oriundos da UFSC. Estes profissionais atuam em empresas, associações e cooperativas de produção de organismos aquáticos, em prefeituras, secretarias e empresas públicas, assim como em universidades e centros de pesquisas com interesse voltado para o tema, além de empreenderem em atividades relacionadas com produtos e serviços de origem aquática.


Nota: Texto de autoria de Krug, L.C (revisto e atualizado em dezembro de 2013).

  

Engenharia de Aquicultura (UFSC)

Nome: Engenharia de Aquicultura (UFSC)
Instituição: Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
Coordenador: Profa. Dra. Anita Rademaker Valenca
Endereço: Rodovia Admar Gonzaga, 1346 - CEP: 88034-001 - Itacorubi - Florianópolis (SC)
Telefone: (48) 3721-5410; (48) 3721-4116
E-mail: aquicultura@contato.ufsc.br
Site: http://aquicultura.grad.ufsc.br/

Engenharia de Aquicultura (UFRN)

Nome: Engenharia de Aquicultura (UFRN)
Instituição: Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN
Coordenador: Profa. Dra. Virgínia Maria Cavalari Henriques
Endereço: Departamento de Oceanografia e Limnologia da UFRN - Via Costeira - Praia de Mãe Luiza S/N - Natal - RN
Telefone: (84) 9909-1448
E-mail: coordenacoes@cb.ufrn.br
Site: https://sigaa.ufrn.br/sigaa/public/curso/portal.jsf?id=2576623&lc=pt_BR

Engenharia de Pesca (UFPR)

Nome: Engenharia de Pesca (UFPR)
Instituição: Universidade Federal do Paraná - UFPR
Coordenador: Prof. Dr. Carlos Eduardo Belz
Endereço: Rua Rio Grande do Norte, 145, Mirassol (Totem 10) – Pontal do Paraná – PR
Telefone: (41) 3511-2142
E-mail: aquicultura@ufpr.br
Site: http://www.cem.ufpr.br/?page_id=59